3 perguntas para entender capital de giro

O que é capital de giro?

O capital de giro é uma reserva de capital com a quantia necessária para manter as operações da empresa, isso é, o custo fixo necessário para cobrir os gastos periódicos da empresa, como pagamento de salários e tributos, gastos com infraestrutura, gastos com a manutenção do estoque e todas as outras despesas que são necessárias para manter o funcionamento do empreendimento.

Essas despesas mudam de acordo com a realidade do negócio. Por exemplo, se uma empresa trabalha com vendas a prazo, o capital de giro deve ser suficiente para cobrir as contas a receber e manter a empresa funcionando mesmo com o déficit temporário. Os gastos com contas de luz, telefone e água também devem ser cobertos pelo capital de giro, pois são despesas fixas da empresa.

Como funciona?

Funcionando como uma reserva, o capital de giro é o que mantém a empresa funcionando corretamente mesmo se o fluxo de caixa estiver negativo, isso é, se o seu negócio tiver mais despesas do que receita e, também, se ele for apenas suficiente para que a receita cubra os gastos. Lembrando que o fluxo de caixa ideal é o positivo, em que a receita que você recebe é suficiente para cobrir os gastos da sua empresa e, ainda, gerar lucro.

O capital de giro é o que permite que, de acordo com o segmento de seu empreendimento, você compre matérias-primas, novos produtos para revenda ou novos instrumentos para prestação de serviços, sem que você precise recorrer a empréstimos bancários.

Como calcular?

Para definir o capital de giro de seu negócio, o primeiro passo é levantar os custos fixos de sua empresa. Para essa definição, leve em conta a folha de pagamento dos seus funcionários, os tributos, contas de água, luz e telefone, aluguel e outras despesas fixas de seu empreendimento. Em seguida, é hora de definir qual o volume de vendas necessário para cobrir essas despesas e, ainda, gerar uma margem de lucro que seja coerente com a qualidade do que foi vendido.

Em resumo, a fórmula para calcular o capital de giro do seu empreendimento é:

(Valor de Contas a Receber + Valor em Estoque) – Valor das Contas a Pagar

O “Valor de Contas a Receber” é o montante das compras realizadas a prazo pelos seus clientes, o “Valor em Estoque” é o valor de manutenção do estoque e, o “Valor das Contas a Pagar, são os gastos fixos de seu empreendimento.

É importante destacar que a diminuição do prazo médio de estocagem dos produtos para revenda impactam muito na necessidade de capital de giro.

Um exemplo é a seguinte situação: Luís é dono de uma pequena indústria. Mensalmente, está previsto o recebimento de um montante de R$24 mil. A despesa de Luís com os estoques é de R$ 11 mil e as contas a pagar resultam no total de R$ 8 mil. Assim, seu cálculo será a soma dos valores a receber e dos custos com estoque, que resulta em R$ 35 mil, menos os R$ 8 mil das contas a pagar, resultando em R$27 mil. Esse é o valor que Luís deve manter como capital de giro mensalmente.

Viu como é simples? Agora que você já sabe como definir o capital de giro necessário para a sua empresa, que tal saber quais são as medidas que você deve tomar para garantir o bom faturamento do seu negócio? Esse mapa visual te mostra.

Baixar mapa visual agora

Gire seu smartphone para visualizar o site