O ERP como aliado da gestão fiscal das pequenas empresas

 

Fonte: Shutterstock

Diante da complexibilidade da legislação fiscal brasileira, gerenciar a área fiscal de uma empresa tem se tornado uma tarefa cada vez mais difícil.

A obrigação da prestação de contas dos livros fiscais por meios digitais, imposto pelo governo brasileiro em todas as suas esferas, exige que as empresas tenham acesso a ferramentas que permitam trabalhar neste novo modelo. E é nesse momento que entram os sistemas integrados de gestão empresarial (ERPs).

 

Os bons fornecedores de sistemas de gestão vêm acompanhando a evolução da legislação e, ao mesmo tempo, atualizando suas soluções para que seus clientes estejam sempre em dia com suas obrigações fiscais. E isto vale também para as pequenas empresas. Um bom ERP, além de possuir recursos para o gerenciamento da gestão, deve conter ferramentas de controle fiscal que permitam a prestação de contas de maneira segura e correta.

A garantia do pleno funcionamento de uma solução para o departamento fiscal deve ser 100%, pois ela estará integrada diretamente aos sistemas de: SPED (Sistema Público de Escrituração Digital); Nota Fiscal Eletrônica – NFe; e Emissor de cupom fiscal, utilizado para transações comerciais.

Com base neste panorama, seguem algumas dicas para garantir o bom gerenciamento das obrigações fiscais:

1. Manutenção do cadastro básico de clientes, fornecedores, endereços, cidades e etc.

2. Correta configuração e manutenção dos cadastros de alíquotas de todos os impostos que incidem sobre o segmento da empresa, conforme o seu enquadramento perante o fisco.

3. Emissão de notas fiscais eletrônicas (NFe) em todas as operações de faturamento e devolução, garantindo a correta baixa dos produtos em estoque e tambem a integridade da gestão do inventário.

4. Garantia da integridade de todas as movimentações de entrada e saída da empresa. Os processos e procedimentos que movimentam valores, produtos e serviços devem ser devidamente registrados para a correta apuração dos livros fiscais no fim de cada exercício.

Realizar a gestão tributária em um sistema integrado de gestão minimiza riscos e proporciona uma evolução nos processos de gestão. O acompanhamento passa a ser mais eficiente e com um alto grau de controle.

Utilizando o potencial de um bom ERP, as pequenas empresas conquistam flexibilidade e segurança na gestão do seu negócio, permitindo assim voos mais altos, minimização de riscos e perdas a fim de manter o equilíbrio e a competitividade perante o mercado.

Marco Túlio é Consultor de Projetos da Jiva Gestão Empresarial, especializada em soluções de gestão empresarial para pequenas empresas, e que atua no modelo de franquias.

Gire seu smartphone para visualizar o site